10 Erros Comuns no Marketing de Redes Sociais

Maquinha de Cartão, qual a melhor?
11/06/2020
Mostrar tudo

10 Erros Comuns no Marketing de Redes Sociais

Você está bem intencionado, pronto para começar suas redes sociais, mas não tem o rumo? Um bom começo é saber o que e como não fazer nas redes sociais. Veja agora os 10 erros mais comuns neste marketing.

1- Não ter objetivos definidos

Em quase sua unanimidade, a marca busca conversão em todos os canais seja no próprio site ou mídia impressa, ou social. Isto é bastante óbvio. Porém a rede social presta muito mais o papel que nomeia a mesma, o papel “social”, ou seja é a interação da marca com o público, consolidando e criando identidade com o nicho.
Aí entra o objetivo definido (ou não).
Saber com quem se comunica e para onde quer levar seu público.

2- Eu Eu Eu Eu Eu

Existem regras básicas de vendas da marca em uma rede social. É o vender sem vender. Responda a simples pergunta, você prefere uma pessoa que fala de si mesma ou de uma pessoa que tem um bom papo? Então, empresas que falam muito de si mesmas “enchem o saco”, não é mesmo?
Para isso existem algumas técnicas como para cada 4 postagens você pode fazer uma postagem institucional.

3- Muito ou quase nada

Postar em demasia, é tão prejudicial para a imagem, quanto a não postagem. Em demasia incomoda e a pessoa acaba deixando de seguir. Postar de menos e esporadicamente denota que a empresa é relapsa com sua redes social. E pior do que isso, aquela empresa que posta todos os conteúdos do mês em dois ou 3 dias.
Sua presença tem que ser constante, com uma frequência a ser estudada, dentro do canal ou rede eleita.

4- Postar e esquecer

Este é um erro comum para muitas empresas que procuram fazer sozinhas o trabalho das redes sociais. Entrar postar e deixar lar. Sem observar curtidas, sem responder comentários e/ou directs.
A rede social é exatamente isso, “social”. Você como cliente imagina que vai ficar esperando sem resposta, quando for no seu estabelecimento.

5- Rede Social errada

Este é um erro muito comum. Principalmente para o B2B. Empresas que desejam vender ou mostrar sua presença na rede para a qual não se destina. Se você vende para o varejo, roupas, bolo, vara de pescar, pipa.. seu público alvo vai se encontrar principalmente em redes sociais como o Instagram ou Facebook, Twitter.

Porém se você tem um produto que vende para empresas, seu lugar de fazer o social é no Linkedin, apesar de parecer óbvio. Esta rede ainda é muito pouco usada da maneira correta.

6- Segurança

Não são poucos os perfis invadidos por hackers ou que permitam acesso a determinados profissionais que postaram o que não deviam. Por isso mudar a senha sempre que a equipe trocar é uma prática que deve ser adotada. Bem como delegar funções corretas, no caso do Facebook.

7- Utilizar uma rede social como único canal de vendas

A máxima de que time que está vencendo não se mexe, certo?
Maisssss ou meeenos. Primeiro pondere o item anterior. Sites podem sim ser invadidos, nestes mais de 12 anos trabalhando com web já trabalhei com cerca de 10 sites que foram invadidos, uma média de 1 por ano, praticamente. Todos eles por falta de manutenção, em planos que cobriam apenas a hospedagem. Sites com manutenção raramente são invadidos.

Mas a questão principal é o fato da rede social não ser criada exatamente para este fim. Existem ferramentas de vendas que podem distribuir seus produtos para vários canais, de maneira automática, caso você tenha seu próprio site.
Para lojas virtuais iniciantes, existem vários marketplaces, que propiciam um alcance muito maior.

Comece vendendo em uma rede social, tudo bem. É preciso começar de alguma forma. Mas já tenha em mente deixar ela para ser o social mesmo.

8- Concursos culturais com brechas ou falhos

Eles estão na moda, mas podem causar descontentamento dos participantes. O regulamento deve ser claro e alinhado como departamento jurídico da empresa que pontue a desclassificação de perfis falsos ou de pessoas que burlem alguma regra. Esta é uma garantia que a empresa tem que manter assegurada. Além da divulgação clara do resultado.

9- Equipe despreparada

O tato na curadoria tanto do conteúdo, quanto da voz a ser usada para comunicação parece simples. Porém uma equipe despreparada pode causar um estrago terrível, quando leva um comentário para o lado pessoal e acaba causando uma discussão, o que resultará em print da conversa e compartilhamento. Aí…… o estrago está feito.

10- Censura

As pessoas vêem o que é postado e comentado. Logo apagar comentários negativos soa como querer empurrar a sujeira para debaixo do tapete. A melhor solução para um comentário negativo é resolver o descontentamento, da maneira mais transparente e com uma solução que demonstre o interesse da marca pelo cliente.

Isso pode reverter um comentário negativo em várias futuras vendas, enquanto a censura fará o oposto.

11- Não interagir (bônus)

Poderia passar o resto do dia dizendo o que “não” fazer em uma rede social, mas ia esquecendo de um dos principais pecados. A falta de interação com os outros perfis.

O algorítimo é feito para simular o esperado por um humano. Se uma pessoa nunca conversa contigo e vem te entregar um “santinho”, provavelmente você vai olhar de cara torta. Porém se ele lhe parece um “amigo”, é muito mais fácil de aceitar.

Assim funciona também para a entrega de conteúdo. Se você não interage com seu cliente, como sua marca irá aparecer entregando um folheto da empresa? Não né?

12- Não impulsionar (bônus2)

Um fato que muitos empresários ainda pecam é não impulsionar suas postagens. Óbvio que isso para quem está começando, afinal esta postagem se destina para quem está remando ainda.

As redes sociais são um mercado de anúncios. Para fazer parte deste mercado você vai ter que botar a mão no bolso inevitavelmente.
Faça uma boa postagem específica para ser impulsionada.


Conclusão:

Trabalhar com redes sociais requer conhecimento do público, dedicação sincera, acompanhamento de métricas, pontuar abordagens de sucesso ou não. E isso é um serviço contínuo, e que é claro a Brisa faz com todo o carinho.